domingo, 27 de junho de 2010

23º Capitulo - Morte e Paraíso

Este capitulo vai para a minha melhor amiga e vizinha louca.
A minha M! :P

Espero que todos gostem. :)



Pegou na minha mão e enquanto me olhava apaixonado nos olhos, beijo-a.
Foi esse o seu erro. Quando foquei a estrada, era tarde de mais.
Gritei.

Então vi. Só tive tempo de olhar assustada para Alexander, e ele retribuiu o olhar assustado. Em fracções de segundos, estava em cima de mim, a formar um casulo impenetrável.
Ouve um som ensurdecedor e o camião enorme que vinha a alta velocidade, descontrolado, chocou-se contra o carro de Alexander.
Senti dor, e soltei um grito. A visão turvou-me e ao longe ouvi a voz de Alexander a chamar-me.
Tudo tinha acabado. A colisão tinha amassado completamente o carro de Alex, e ele ainda estava a protege-me.
Havia fumo e os meus pulmões tinham dificuldade para trabalhar. Doía-me a cabeça. Doía-me o corpo todo. O corpo quente de Alexander estava colado ao meu, separava-me da chapa do carro que colava-se às costas dele. Carro que ficara destruído assim como a frente do camião.
- Nikka! – a voz de Alexander estava verdadeiramente assustada, o que me fazia desejar livra-lo do medo. Mas a minha cabeça ainda girava confusa, os meus olhos ainda não conseguiam ver sem aquela névoa. – Fala comigo! Diz alguma coisa, por favor!
Como resposta tossi com dificuldade. A garganta doía-me.
- Vou afastar o metal. Junta-te a mim para não te magoares nos destroços.
Ainda tonta, fiz o que ele mandou. E o som do metal a ser rasgado foi arrepiante. Mas rápido ele tirava-me do carro. Pousou-me no chão, encostada a um poste que iluminava a estrada. Afagou o meu rosto, totalmente descontrolado.
Sentia um líquido quente escorrer pela testa. Toquei confusa e quando olhei para a mão, percebi ser sangue. Também percebi que o sabor a metal que tinha na boca, era também sangue.
- Onde dói? – Olhei Alex, e tive vontade de chorar. Não pela dor que sentia, mas pela sua expressão.
O meu amor olhava-me apavorado, sem saber bem o que fazer. A dor nos seus olhos, era angustiante. Tentava parecer calmo para não me assustar, mas as mãos trementes que seguravam a minha mão ensanguentada, desmentiam isso.
Ele repetiu a pergunta.
- Aqui… - levei a mão á cabeça e com uma careta de dor descobri que tinha um corte profundo na fonte direita. Levei a mão às costelas. – E aqui… - o meu corpo doía todo, devido ao embate, mas eram ali que doía mais.
Atrapalhado, começou a rasgar a minha camisola para apalpar o meu abdómen.
- Tens as costelas partidas. Oh meu amor! – acrescentou angustiado – Respira com calma.
Assenti e fiz o que ele mandou. Alexander segurou o meu rosto, enquanto foi beijar o corte. Deslizou a língua por ele. Era tão cuidadoso que nem doeu. Sabia o que ele fazia. Tratava de cicatrizar.
- Foi uma mensagem de Menez.
Alex ficou tenso e olhamos para o som da voz. Uma mulher que saía do camião. Então com um sorriso nos lábios espetou uma estaca no coração. E o seu corpo começou a desfazer-se em cinzas na nossa frente. Alex soltou um rugido, e voltou a concentrar-se na minha ferida.
- Pronto Nikka. – beijou atrapalhado a minha boca ensanguentada – Agora vou pegar em ti com calma.
- Ok. – ia afagar o seu rosto, mas acabei por desistir porque tinha as mãos com sangue e não queria sujar o seu perfeito rosto.
Ele estava alterado. Estava um vampiro. Não sabia se era pela fúria, ou pelo cheiro do meu sangue. Talvez ambos.
Quando pegou em mim ao colo, como se fosse uma criança não pode segurar as lágrimas. Doía. Não disse nada, pois sabia que Alexander sofria ao ver-me assim.
Voltou a beijar-me calmamente e senti a língua dele passar pelos meus lábios que tinham sido cortados pelos dentes no embate. Sabia que já estava cicatrizado. Então, ele escondeu a minha cabeça no seu pescoço e levantou vou-o.
Subimos e os destroços do acidente explodiram em fogo. Sentia o vento esvoaçar o meu cabelo. Não tinha frio, pois Alexander estava quente. A dor já começava a abrandar.
Rápido chegamos ao castelo. Alex gritava ordens noutra língua.
- Que aconteceu? – Alain tinha saltado de uma janela e aterrado ao nosso lado – Nicholaa? Ela está bem?
- Sim. – um rugido furioso saiu do peito de Alexander – Mata todos do clã Menez. Cada um, mesmo que digam que não fazem parte da revolução. Leva a Kawit, e não voltem até terem dizimado cada um deles. Descobre quem os anda a ajudar. Agora Alain!
Alain rápido acatou as ordens e no minuto seguinte quando Alex subia as escadas, ele e Kawit passaram por nos. Kawit olhou-me, mas ao contrário do que pensei, ela não sorriu desdenhosa. Não mostrou qualquer reacção. Simplesmente estava concentrada na sua missão.
- Jullianne! – chamou Alexander.
- Sim? – Jullianne num segundo estava ao nosso lado – Procura Alonzo.
- Quem é Alonzo? – perguntei.
- Ele é o medico dos alimentadores aqui no castelo. Irá tratar das tuas fracturas. – o seu rosto ficou sem expressão – Poderias ter morrido com o embate.
- Estou bem. – assegurei.




Mas não estava. Não pelo acidente. Fui levada para uma sala do castelo, onde parecia um hospital. Os humanos que lá estavam pareciam felizes. Percebi que eram utilizados para o tal de Alonzo estudar os humanos, e quando não servissem para mais nada, seriam utilizados como alimentos dos vampiros.
Doentio.
O tal Alonzo, que era um homem de 40 anos, enfaixou-me. Tinha partido três costelas. Mas já nem tinha dores. Ele dera-me um medicamento. Tinha tomado um banho e vestia uma camisola larga de Alexander, já que as minhas malas arderam quando Alex explodiu com os destroços.
Então não percebi porque aquela expressão no rosto do homem ao caminhar para perto de mim e de Alexander.
Alexander ficou tenso.
- O que foi?
- Rei… Eu lamento dizer, mas… A situação não é muito boa… - Alonzo tinha um sotaque carregado, mas dava perfeitamente para perceber.
Mas então começou a falar com Alex noutra língua. Em cada palavra, a expressão do meu amor, tornava-se sombria. Provavelmente Alexander mandou Alonzo sair, porque ele olhou-me e depois saiu.
- Que foi? – perguntei alarmada.
- Nikka, eu…
- Fala de uma vez.
- Quando Alonzo fez exames à tua cabeça, descobriu um antigo ferimento…
- O quê?
- Tens um coágulo no cérebro Nikka! – disse exasperado e passava as mãos pelo cabelo nervoso.
- Mas... – acho que a notícia ainda não tinha entrado bem na minha mente. – Posso sempre operar…
- Não. Não pode ser operado. – Alexande fechou os olhos, e pode ver que uma lágrima de sangue escorria pelo seu perfeito rosto.
Então percebi. Eu ia morrer.
- Mas… - engoli em seco. – Oh! – imagens apareceram na minha mente – Foi naquele dia! Alex, quando discutimos pela primeira vez! Discutimos porque tinha ido andar de skeit! Caí e bati com a cabeça.
- Nikka… - beijou a minha mão enquanto tremia assustado.
- Eu… Leva-me ao meu pai.
Ele olhou-me com os olhos ensanguentados. Não por se ter tornado num vampiro, mas por chorar. Respirei fundo e toquei a sua bochecha.
- Leva-me para casa.

Então tudo se passou rapidamente. Parecia uma morta viva. Não queria falar com ninguém. Alex sempre estava ao meu lado, mas também optava pelo silencio. Ele levou-me de volta para casa.
Fiquei no quarto enquanto Alex falava e contava ao meu pai que… ia morrer.
Então, na mesma hora ele levou-me para um hospital. Fiz testes durante toda a semana.
- Alex. – segurei a mão dele.
Estávamos no hospital, no meu quarto. Fitávamos a tv que exibia desenhos animados. Tom & Jerry. Só para passar o tempo.
Alexander ficara ao meu lado sempre. Deveria ser o meu pai, mas Alexander não deixara margens para dúvidas sobre quem iria ficar. Só se ausentava por algumas horas, quando ia dormir, sabe-se lá onde.
- Sim? – colocou uma mecha de cabelo meu, atrás da orelha.
- Lamento.
- Porque? – beijou o meu nariz.
- Por te ir abandonar. Eu… Desculpa.
- Não. – olhou-me furioso – Não digas isso. Não quero ouvir.
- Mas…
- Shhh – calou-me com um beijo.
Algumas horas depois, o meu médico apareceu junto com o meu pai e o meu irmão.
- Então, como anda a cabeça de fósforo? - riu o meu irmão.
- Cala-te cabeça oca! – lágrimas marejaram os meus olhos.
O meu irmão desviou os olhos castanhos dos meus. Fitava subitamente atento a tv.
- Nikka. Temos uma alternativa. – o medico avaliava os papeis na sua frente – Podemos operar.
Alexander ficou rijo.
- Não podem. O médico que a avaliou disse era impossível.
- Bem, eu tenho outro diagnóstico.
- Está errado. O médico que examinou Nikka tem muitos conhecimentos. O corpo humano não tem segredos para ele. Anos e anos de pratica.
- Pois eu digo que pode. Sou médico á 10 anos. Nicholaa não é o meu primeiro paciente com coagulo no cérebro.
- Eu disse… - apertei a mão de Alexander para ele parar. – Nikka. – baixou a voz para mim – Alonzo examina humanos á 170 anos. Conseguiu corar enfermidades como HIV em certos pacientes. Não ouças este impostor. Alonzo avisou que não te podiam tocar. – olhou-me zangado.
- Deixa o médico falar. – afaguei a mão dele.
- Bem. – continuou o médico enquanto olhava o meu pai - A partir da metade da década de 90, foi desenvolvido um método denominado por embolização por cateter que consiste em introduzir um cateter na artéria da virilha e através do cateter, que é levado até ao aneurisma, promover o bloqueio do aneurisma com inserção de micro molas de platina. – então os olhos do medico fitaram os meus - Nisto reside o tratamento endovascular, também conhecido como embolização. Há casos em que a estrutura vascular do paciente não permite a passagem do cateter. Nikka, estás incerida nesses casos, não existe alternativa a não ser o tratamento cirúrgico.
- E… Vou ter chances de sobreviver? Antes tinha dito que podia viver normalmente com isto…
- Podes. – esclareceu o medico – Só que não sabemos em que momento o cagualo se pode romper.
- Ainda não percebi bem isso do cagoalo… - disse Michael.
- Para não variar. – piquei-o. – Nunca percebes nada.
Ele nem respondeu á provocação.



- Bom. Deixa-me explicar-te de uma maneira mais simples. – o medico falava com o meu irmão – Um coágulo é sangue coagulado, obviamente. Então isso acontece onde possa existir derrame de sangue. No caso da tua irmã, aconteceu quando ela deu uma forte pancada com a cabeça. É muito difícil de se diagnosticar estes casos. E Nicholaa não fez qualquer teste antes de ter aquele acidente. Foi uma sorte no final das contas, pois caso contrario poderíamos nunca ter descoberto antes da ruptura. – o meu irmão estava atento. Como nunca o tinha visto – Formou-se também porque o sangue não tem para onde escorrer.... ao contrário de um simples corte na pele. Com a batida, rompem-se alguns vasos. Existiu sangramento. Se o sangramento ocorresse entre a pele e o osso, Nikka teria um galo... Mas infelizmente ocorreu entre o cérebro e o osso, formando assim um coágulo no cérebro.
O meu irmão engoliu em seco, e eu percebi que lhe custava ouvir aquilo. Acho que ele tinha uma noção das coisas, mas ele sempre tinha sido meio sem noção. Talvez preferisse a ignorância.
- Esse coágulo no cérebro – continuou o médico - por estar preso entre o órgão e a caixa craniana, está a pressionam o cérebro. Como se o teu pé estivesse com uma entorse e inchasse dentro de um sapato muito apertado – voltou a olhar os exames e acrescentou um tanto ausente – Vamos abrir a cabeça e drenar esse coágulo... quando é da caixa craniana para fora é menor perigoso, mas mesmo assim temos fé que será uma operação de sucesso.
- Números. Fale em números. – exigiu Alexander.
- 80%.
Alexander olhou-o furioso.
- 80% de quê?
O medico lançou um olhar nervoso a Alexander e tossiu.
- De as coisas não correrem como planeado – Alexander soltou uma gargalhada maldosa e olhou-o como se lhe fosse arrancar o coração, mesmo ali – Mas são só números. Garanto que será um sucesso. – acrescentou aterrorizado.
- A sua palavra não vale nada para mim. Não vai colocar essas mãos nela!
- Nikka – o meu pai interrompeu Alex. Olhei-o e vi o seu rosto cansado e com dor – Filha… O que queres fazer?
- Não sei. – admiti.
- Não vai ser operada. Fim da história.
- Alexander. – chamei – Também não posso viver com medo de dormir. Posso não acordar! – olhei o médico – Irei acordar da operação?
- Sim.
- Então trate das coisas.
O medico assentiu e saiu. Alex furioso levantou-se e caminhou para a porta.
- Alexander. – ele olhou-me a tentar controlar-se – Espero que o medico não tenha nenhum contratempo. – ele percebia o que queria dizer.
Não me respondeu. Sai furioso.
- Tens a certeza?
- Sim pai. Vai correr tudo bem.
O meu pai estava doente. Sabia que ele pensava que 12 anos depois, como ele mesmo me tinha dito, viriam tirar a mulher da vida dele.
- Nikka. – o meu irmão sentou-se na minha cama – Vais safar-te desta, certo? Algum plano?
- Não tenho um plano. Mas não te vais livrar de mim, cabeça oca.
- Aida bem que não tens planos. Todos sabem como eles acabam.
Sorri maliciosa.
- Michael. Fui eu que roubei o teu autografo do Jordan…
- O QUÊ?
Sorri.
- Quando saíres daqui, vais paga-las. Prepara-te!
- Medo!
Gelei. Ele abraçou-me. Fiquei sem reacção. O meu irmão não me abraçava desde os meus 12 anos, quando no dia de Natal tinha tido pesadelos com a minha mãe.
O meu pai, abriu a porta e saiu. Ainda consegui ver lágrimas caírem dos seus olhos. Senti lágrimas no meu pescoço.
- Michael? – perguntei baixinho – Estás a chorar?
- Não! – afastou-se ofendido e limpou os olhos – Foi a merda do teu cabelo que entrou-me no olho!
- Oh Michael! – ri e lágrimas correram pela minha face – Também te amo, seu miserável.
Ele voltou a fitar a tv.
- É. Eu também. - deu de ombros e limpou mais uma vez os olhos – Mas não vamos dizer mais nenhuma vez isso em voz alta. Todos temos defeitos. – olhou-me a fingir-se de zangado – E o meu autografo?
Gargalhei.





Ia ser operada amanha, de manha. Alexander estava no meu quarto. Caminhava pelo quarto, como se fosse um animal enjaulado.
- Pára Alex. Já me sinto tonta!
- Nikka! – esfregou o rosto alterado – Pela ultima vez, não entres naquela sala!
- Alex… Tenho que tentar.
- Não posso… Não vou permitir… Não consinto…
- Alex. – levantei-me e fui ter com ele – Não é uma alternativa viver a pensar que morrerei na hora seguinte. O médico disse que tudo correria bem.
- Nikka! Aquele médico não percebe nada! Falei com Alonzo, ele disse que se entrasses lá, não saias mais.
- Um vampiro não pode saber isso.
- Foda-se Nikka! – agarrou o meu rosto desesperado – Não percebes que se entrares lá, não te voltarei a ver com vida?
- Alexander. – dei-lhe um beijo no canto da sua boca perfeita – Preferes que não vá?
- Sim.
- Então… - respirei fundo – Não vou. Amanha digo que quero alta.
- Obrigado.
- Sabes o tempo que me dão em média, não sabes?
Silêncio.
- 2 meses.
Ele abraçou-me enquanto tremia com medo.
- Sabes que o tempo corre. 2 meses já serão maravilhosos, mas 2 meses já seria sonhar alto. Parece que foi ontem que te vi pela primeira vez. Vou morrer antes que dês conta.
- Não… Não vou permitir.
- Já imaginas-te se não fossemos á Roménia, se não existisse revolução? Um dia podia-mos amar-nos e quando adormecesse nos teus braços, não acordaria mais.
- Shh! Não fales nisso, por tudo Nikka. Não me deixes!
- Sou uma privilegiada por te ter conhecido. A vida não teria sentido sem ter tido um deslumbre teu. És o meu verdadeiro amor. O meu único amor. Esteja onde estiver, será contigo no pensamento que darei o ultimo suspiro. Eu prometo.
- Não quero que dês um último suspiro!
- Alexander, já tivemos esta conversa. Sabes que prefiro morrer como humana, dói que viver para sempre como vampira.
- Não…
- Alexander. Eu também não viveria até estar pronta. Só me podes transformar quando tiver 23 anos. Não vou chegar lá. – lágrimas caíram pelo meu rosto – E mesmo que tivesse 30 anos, a resposta seria não. Podes perdoar-me?
Ele perdeu as força nas pernas e cai aos meus pés. Como uma criança agarrou-se ás minhas pernas, e chorou. Chorou. E eu perdi as forças e cai ao lado dele também. Ficamos meio ajoelhados, meios sentados agarrados um ao outro.
Um rosnado de dor, sai pelo seu peito. Um anima l ferido. Vi-o morder a própria pele, tentava que a dor física fosse mais suportável que a que eu lhe provocava.
Puxei o seu rosto ensanguentado pelas lágrimas. Beijei os seus lábios. Beijei-o com promessas que não iriam acontecer. Nada ficaria bem.
Não seriamos feliz. A vida era assim.
- Isto é uma despedida? – perguntou aos soluços.
Tremia nos meus braços. Tinha que ser forte por nós.
- Queres que seja? Queres dizer-me alguma coisa?
- Queria ser humano. Queria seguir-te. MAS NÃO POSSO!
A dor batia forte. A minha alma destroçava-se.
- O final perfeito para o amor de uma humana e de um vampiro.
- Não me deixes, não me deixes, não me deixes. – repetia atormentado, vezes sem conta.
- Amor, vou sair daquela sala de cirurgia. Vou sair para ti. Acredita. Vamos ter fé. Talvez Deus, não seja mau para nós.
- Não acredito em Deus. – olhou-me sem forças. O seu rosto completamente ensanguentado. Um anjo que chorava. O meu anjo negro que chorava sangue por mim – Mas já rezei. Nikka… Oh Nikka! Eu rezei horas seguidas, para um Deus que não sei se existe. Implorei-lhe que não te levasse para longe de mim. Achas que ele me ouviu? Achas que ele vai atender ás minhas suplicas? – olhou-me com esperança.
- Eu quero acreditar que sim.
- Acreditas Nele?
- Sim.
- Rezas?
- Sim.
- Pelo quê?
- Para poder olhar para o teu rosto, por mais alguns anos. Para não sofreres se partir.




- Eu estou a sofre. Dói de cada vez que respiro. Dói a cada segundo. Não consigo suportar. Eu amo-te. Eu venero-te. És o meu mundo. Quando olhas para mim… - tocou os meus lábios com os dedos trémulos – Sinto-me um rei. O teu Rei. Sinto-me no topo do mundo, porque… és minha. E cada parte do meu ser é teu. Não é muito, eu sei. Mas cada parte deste coração podre, onde a vida não floresce é teu. És a semente que impregnou o meu coração, a luz que iluminou a escuridão. Se Deus, existe, está a castigar-me. Está a condenar-me. A punir-me. Tira-me a única coisa que me importa.
- Deus não castiga. Deus perdoa.
- Foste o meu milagre. O meu pequeno e lindo milagre. Depois de milénios na solidão, eu encontrei-te. A minha pequena e frágil humana. A minha mortal paixão. Não terei outro milagre. Deus não existe.
- Nisto. – toquei o seu coração que não batia – No vampiro que se apaixonou, no vampiro que sentiu – beijei de leva a sua boca – Eu vejo Deus.
- Diz que me amas… Por favor… Diz que… Não sei. Não pares de falar comigo… Nunca…
- Eu amo-te. Eu venero-te. És o meu mundo. – repeti as suas palavras com todo o meu coração.
- Estás com medo? – perguntou baixinho.
- Sim.
- Se partires, não vai doer. Eu vou carregar toda a dor. A dor de segui uma vida depois de ti. Uma vida depois da tua doce lembrança. Sempre sentirei o sabor dos teus lábios.
- Não tenho medo pela dor. Agora dói. Tenho medo por ti. Medo de ficar sem ti. Prometes-me que vais ficar bem?
- Não. Não vou ficar bem. – beijou as minhas mãos – quero dizer-te que neste momento… Queria ser humano. Queria o teu lugar. Não queria desiludir-te. Queria ser bom o suficiente para ti. Queria ser humano, porque… Assim – fechou os olhos e das suas pálpebras fechadas, lágrimas de sangue correram – Assim podia morrer. Assim saberia que não me comparas a alguém. Que em cada toque poderias desejar que fosse um humano. Que não desejasses que eu fosse outro que nunca poderei ser… Eu só queria ter nascido de novo. Nascido como teu vizinho. Queria dar-te tudo aquilo que desejas. Tudo aquilo que mereces.
- Não continues. – abracei-o forte – Alexander, eu amo-te. - Afaguei as suas bochechas e com a minha camisola limpei o seu rosto até ficar limpo. Mas novas grossas lágrimas brotavam furiosas, sem poderem ser retidas. – Se fosses humano, não te amaria mais. Acho que te devia ter dito isto, vezes sem conta. Admiro-te. Amo-te pelo que passas-te. Pelo que lotas-te e conquistas-te. Amo-te por sentires. Amo-te por me amares, apesar das diferenças. Amo-te, porque viste em mim, mais que uma adolescente problemática. Amo-te por seres o vampiro que se apaixonou. Amo cada parte tua.
- Verdade?
- Juro.
- Eu juro que te amo. Juro pela minha alma.
- Aquela que provavelmente não tens? – gargalhei enquanto lágrimas caiam pelo meu rosto.
- Apanhado! – sorriu – Juro pela minha alma. A minha alma és tu.
- Vais amar-me? – perguntei, embora fosse um pedido.
- Vou amar-te todos os dias, todos os segundos da eternidade.
- Vais sentir a minha falta?
- Sempre e sempre. Cada paço que darei no inferno, será contigo no pensamento. Será com a ânsia do teu toque.
- Beijas-me? – implorei.
- Agora. – engoliu em seco, e com os lábios nos meus confessou – Beijar-te-ei na minha mente vezes e vezes sem conta.



Alexander embalava-me, jurando-me amor eterno. Jurando que viveria na memoria dele. Pedia-me para que também viveria com ele no meu coração.
Claro que ele viveria. Era o meu amor.
Lembro-me de adormecer, cansada pela dor. E acordei com a voz implorante de Alexander.
Ele rezava.
O imortal, indestrutível vampiro rezava.
Por mim. Implorava a alguém em quem não acreditava, em alguém em quem não compreendia.
Rezava com todo o fervor que podia. Dizia ser pequeno perante Ele, que Ele fizesse um milagre. Que salvasse a sua vida. A minha vida. Que me fizesse acordar depois da operação.
A voz do meu anjo, pedia por mim
- Por favor, por favor… Meu Deus, por favor, por favor … Pai Nosso que estais no céu, santificado seja o vosso nome. Venha a nosso o vosso reino
- Seja feita a vossa vontade – rezei com ele. As nossas vozes pediam inspiração divina, mesmo sabendo que de nada adiantaria porque…. A esperança, era a ultima a morrer. – assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia nos daí hoje, perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tenha ofendido. E livrai-nos de todo o mal. Amém.
- Dorme. – mesmo ali Alexander não parava de dar ordens. Sorri. Era o meu Alex.
- Está bem. – encostei o meu rosto ao seu ombro e fechei os olhos.
- Pai nosso que estais no céu… - Alexander continuou a rezar. Incansável. – Santificado seja o Vosso nome…
E rezou vezes sem conta. Rezou e rezou. Na última esperança do nosso amor.


A manha chegou. A manha eterna finalmente me alcançou. Entre lágrimas, despedi-me da minha família. E nereida também esteve lá. Mas acabou por desmaiar. Gargalhei e entre lágrimas recitei “não sigas a luz”.
O meu irmão chorou e disse que se voltasse para casa, iria fazer uma faixa a dizer “eu amo a minha irmã” na porta, para todos verem. O meu pai disse que até tratava bem Alexander.
Abraçava-os só com um braço, pois ajoelhado ao lado da cama, Alex segurava a minha mão e com os lábios encostados na minha pele… Rezava.
Então a hora chegou. Uma enfermeira veio buscar-me para me preparar para a operação.
Antes de a maca ser empurrada, os lábios de Alex caíram sobre os meus. Pareciam queimar-me. Faziam-me flutuar. Ser feliz.
- Eu amo-te. – murmurou nos meus lábios.
- Eu venero-te. – respondi – Amo-te.
- Volta para mim, por favor meu amor.
Passei a mão nos seus cabelos castanhos, no seu rosto perfeito. A memorizar. Memorizava-o enquanto ele me memorizava também.
- Adeus , meu amor. Adeus minha vida, meu mundo. – os seus olhos encheram-se de sangue – Adeus minha pequena Nikka.
- Adeus meu amor.

E levaram-me.



Estava deitada na maca, dentro da sala de cirurgia. Preparavam as coisas. Fechei os olhos e só pensei no meu amor. Os médicos tratavam das últimas coisas e eu pensava só nele. No meu Alexander.
Então, nem me apercebi que tudo ficou em silêncio. Um silencio assustador. Vazio.
Quando abri os olhos, vi uns azuis acinzentados. Uns cabelos desalinhados, um sorriso perfeito. A beleza deslumbrante.
- Nikka…
- Acabou? – perguntei confusa enquanto ele afagava o meu rosto, sempre com amor. – Não senti… Estamos no céu?
- Paraíso? – perguntou o anjo.
- Estamos?
- O meu paraíso é onde tu estiveres. Então, se estiveres ao meu lado, sim é o paraíso.
- Podemos sentir? – perguntei ao fitar os seus lábios que se abriram num sorriso perfeito.
- Porque? Queres sentir-me?
- Todos os dias. – sorri – Sempre.
A sua língua percorreu os meus lábios, deixando-me ofegante. Tremula.
Sim. Eu sentia.
- Sim. É o paraíso! – sorri, antes da boca dele cair sobre a minha.
Enrosquei os braços no seu pescoço e enquanto ele percorria as minhas costas.
Ele segurou o meu braço e afastou os lábios dos meus.
- Porque estás de branco? – perguntei confusa – A tua cor é o preto. Ficas sexy e perigoso.
- Gostas que seja sexy e perigoso.
- Claro! Não teria piada ter um namorado vampiro que não fosse perigoso nem sexy.
Ele sorriu-me. O sorriso torto.
Sim, era o paraíso. Ali estava o meu sorriso torto. Só meu.
Senti uma picadela.
- O que… - olhei e vi uma injecção na mão do meu anjo que perfurava a pele do meu braço.
Olhei-o sem entender.
- Alex?
- Tudo vai ficar bem. – prometeu.
- Prometes?
- Sim. Vou fazer com que fique.
- Tudo bem. – comecei a sentir-me com sono – Tenho sono.
- Dorme. Estou aqui a tomar conta de ti.
- Eu sei. – sorri – Sempre cuidas de mim.
- Sempre.
Os meus olhos fitaram o chão.
Gritei. Uma mão cobriu a minha boca e escutei um sussurro no meu ouvido:
- Vou cuidar de ti.
Olhei o anjo assustada. Agora via que a sua bata branca tinha sangue. Assim como a sala de cirurgia. Sangue dos médicos e enfermeiras que estavam mortos no chão.
As forças abandonaram-me. As pálpebras fechavam-se. A mão de Alexander deslizou pela minha boca e levantou-me da maca. Pegou em mim ao colo e sai da sala. Ia-mos no corredor e a sala de cirurgia explodiu. Pessoas gritavam por ajuda.
Vi a minha família correr para a entrada da sala. Enfermeiros segurarem o meu irmão para o impedirem de enfrentar o fogo. Vi o meu pai chamar o meu nome ajoelhado no chão. Pessoas a chamarem por ajuda, a chamarem nomes que desconhecia. Nomes dos médicos.
Ninguém parecia reparar que um homem vestido de médico carregava uma paciente.
Ninguém desconfiou quando Alexander me deitou no banco traseiro do seu carro. Completamente drogada.

Acordei horas depois. Reconheci o jacto de Alexander. Então vi-o pegar noutra seringa e mais uma vez drogar-me.
- Vai ficar tudo bem.
Voltei a apagar enquanto fitava os olhos mais lindos que alguma vez vira. Os olhos do meu carrasco.
A lucidez voltou entorpecida, quando estava no castelo de Alex. Quando ele subia as escadas e a minha cabeça prendia para traz. Os meus olhos vidrados viram Jullianne, Alain que me fitavam expectantes. Vi Kawit com uma mascara impenetrável. Todos estavam no fundo das escadas e assim que subíamos, perdi-os de vista.
Senti os lençóis da cama de Alex nas minhas pernas nuas pela bata de hospital.
Ajeitou-me e colocou-me no seu colo.
- Espero que me perdoes. – abraçou-me rápido – Perdoa-me.
E os seus dentes cravaram a minha pele.
Drenou-me. Não doeu, apenas sentia-me entorpecida. O coração a bater fraco, a visão a faltar. O corpo a tremer.
Senti um pulso molhado nos meus lábios. Sabor a metal.
Sangue que escorria pela minha garganta e me davam vida.
Uma vida na morte.
Porque ali Nikka tinha morrido. Seria um morto vido. Uma vampira. Um puro.
E não queria isso.
Nunca quis.



Então?
Por favor comentem muito!
Muito mesmo!
É o último capitulo! Na terça posto o ultimo.
Quem nunca comentou ao menos comente hoje e o ultimo. É muito importante.
Esta história é o “meu bebe”.
Comentem, pois quero saber o que acharam!
Partes favoritas, o que sentiram… Tudo e mais alguma coisa! :P
Ou um simples “eu li”.
Imaginaram que ia ser assim?
P.S-> Que tal Margarida? Surpreendi? Desculpa! Eu disse-te que postaria entre as 8 ou 9 horas. Mas a culpa é do pc! Grrr! Ainda anda doente Filha da mãe! Estive n’s tempo a ver se conseguia aceder! Que raiva! E só funcionou depois de reiniciar!
P.S2-> Vou postar um presente lindo que tive, das maravilhosas amigas que tenho. Margarida e Soraya. Depois comentem! ;) Elas merecem!
P.S3-> Parabéns Rita Cullen! Tudo de bom, tu mereces! :)

17 comentários:

Margarida disse...

AR!! eu acho que não li bem!! vou ler tudo mais umas 5 vezes para ter a certeza de que li bem!! (OMG) :D

Margarida disse...

AR da minha vida!!


TU QUERES-ME MATAR?!? OMG OMG OMG OMG OMG OMG OMG OMG OMG OMG!!!!!!!!! :D

Neste momento estou super confusa. Espero profundamente que não tenha passado de um sonho, porque se assim for eu acho que quem morre não é a Nikka, sou mesmo eu!!


(inspira, expira, inspira, expira, inspira, expira.....)


Bem, partindo do principio que isto aconteceu mesmo (OMG), surpreendes-te mais do que alguma vez poderia ter imaginado!! Não imaginas!!!
Acho que vou rebentar de alegria!! oh meu deus!!!

Não consigo dar opinião sobre este capítulo! AMEI de uma maneira que não te consigo explicar, aconteceu o que eu mais desejava desde o início, mas não te posso dizer que este é o meu preferido! Não posso dizer isso sem ver o último e derradeiro capítulo...

Tenho a minha cabeça a mil neste momento.... Ainda estou a pensar na "SUPERAÇÃO E ACEITAÇÃO". Sim, agora percebi. Quer dizer, acho que percebi! Por favor AR, explica-me tudo!! sinto-me como uma criança de 5 anos numa aula de Física Quantica!!
Por favor, elucida-me AR!! Acho que não vou conseguir dormir sem perceber realmente o que se passou aqui....

Eu vou-me repetir, mas novamente tudo foi para outro nível!! O Alex, a rezar?!? :O Emocionei-me tanto mas tanto, já nem me lembro de nada que conseguisse mexer comigo desta maneira!

E finalmente, citando a própria autora, "tudo o que ele quer, ele toma". Sim, finalmente isso faz todo o sentido....

Ele disse à frente de toda a gente que o Alonzo tinha 170 anos de experiência?!? O médico deve mesmo ter pensado que quem devia estar com um coagulo na cabeça era o Alex em vez da Nikka. LOL

Este capítulo foi para mim o mais apaixonante de todos, e o final foi TÃO TÃO, MAS TÃO Alex!!


Mas e agora AR?!? Estou com tanto medo!! Nem consigo pensar nisso...
Como vai reagir a Nikka? Oh meu deus, ela vai-se passar completamente!

E o Alex quebrou todas as regras! Ela não tinha 21 anos!!

E a questão dos 4 puros, como vai ficar?! Alguém se vai oferecer para morrer? Talvez a Kawit! LOL, ou serão criadas novas leis?!

Eu ainda me sinto em choque, mesmo! O meu corpo lançou uma quantidade estúpida de adrenalina quando li o final deste capítulo, que ainda não consigo acreditar que isto aconteceu!
AR, se isto aconteceu mesmo foste terrivelmente malvada comigo!! xD ainda bem, a surpresa foi ainda maior!!

PS: devido à surpresa tives-te o pior comentário de sempre!
PS2: estou à espera do email prometido depois do comentário para esclarecimentos!! xD


Beijo grande***

Adoro-te querida!! :*

Anónimo disse...

AR
agora estou em pulgas pra saber qual a reacção da Nikka, e o que vai acontecer com a familia dela? ela volta para casa ou tem que ficar na Romenia para sempre? é agora que Kawit morre? finalmente Nikka consegue vingar-se da Kawit? ai tantas perguntas e ainda falta tanto para terça... :S

beijo

Bárbara

sofia disse...

oh meu deus
emocionei-me tanto enquanto lia este capitulo
o alex a rezar - ora ai esta algo k eu nao esperava ver
e o michael ele chorou - aqui se ve o amor k ele sente pela irma
em relação a ultima parte estou a achar k sera um sonho mas e se nao for:
primeiro - o alex quebrou as regras
segundo - passarao a existir 5 puros e alguem tem de morrer (Kawit)
terceiro - como e k a nikka vai reagir ela nao queria ser uma vampira.

agora devia matar.te vais fazer.me esperar a mim e aos outros leitores ate terça...eu ainda vou parar ao hospital por tua culpa

P.S: n queres postar mais cedo e k vou postar os dias todos sem dormir e k dispensava ficar com olheiras.

Rita Cullen disse...

Obrigada Ar :)
A única coisa que salva o meu dia de anos é mesmo os amigos a darem os parabéns, mas em fim, agora falando do capitulo

Acho que ainda estou em choque :o. Eu não acredito mesmo no que li! A Nikka vai ser transformada? Oh My God!!!!!!!!! Ainda não estou em mim!

Primeiro a Nikka foi diagnosticada com uma porcaria qualquer no cérebro que a pode matar e ai eu já estava a pensar que ia ter um ataque cardiaco, depois as juras de amor de Nikka e Alexander foi a coisa mais linda que já li, estava a ficar completamente despedaçada ao ver que aqueles dois se iam separar por causa da morte, o Alex estava tão mal mesmo, tadinhos, eu estava mesmo quase a ter um ataque cardiaco!

E fiquei bue surpreendida com o Michael, ele disse que amava a irmã e que se ela volta-se vazia-lhe uma faixa a dizer isso mesmo, lá no fundo ele ama a irmã, só que não o quer demonstrar :)

Agora tenho de te dizer uma coisa, fico muito feliz por fazeres a Nikka poder ficar com o Alex para sempre, mas a parte da família dela desesperada pela Nikka destroçou o meu coraçãozinho, coitados. Mas a verdade é que temos de fazer sacrifícios se queremos juntar aqueles dois *.*

Agora á um grande problema, a Nikka vai reagir muito mal mesmo, ela não queria aquilo, ela disse milhares de vezes que não queria a imortalidade e mesmo assim ele deu-lha. Será que ela vai reagir bem? Bem estou mesmo na dúvida Ar, estás a deixar-me completamente ansiosa outra vez!

Nem acredito que só vai haver mais um capitulo Ar, nem acredito que na terça-feira vamos ler pela ultima vez um capitulo novo da tua magnifica história! Não quero que isto acabe (beicinho, Lol). Estou mesmo ansiosa pelo próximo capitulo porque quero mesmo saber a reacção que a Nikka vai ter, espero que me surpreendas como sempre o fazes que eu na terça ei de estar aqui coladinha ao ecrã que é para no fim dizer-te o que achei. Escreves mesmo bem e por isso é que adoro a tua história, tens jeito e surpreendes-me sempre. Adorei este capitulo e tenho a certeza de que vou adorar o capitulo acabando ele bem ou mal, afinal a escritora aqui és tu e só tu sabes como deves acabar isto

Um grande beijinho Ar, e obrigada pelos capítulos magníficos que proporcionas sempre :)

Soraya disse...

Não podia deixar de fazer o meu comentário mas aviso já que não vai sair algo de jeito (mas a culpa é tua)

Como é possível um capitulo assim tão...PERFEITO no mínimo....tive que ler o capitulo duas vezes para ter a certeza que tinha lido bem...ainda não consigo acreditar...e cada linha do texto continuo a ver na minha memória...como se a tivessem gravado lá!

Já li tantos livros de tantos autores e NENHUM conseguiu provocar tal reacção em mim...uma sensação de aperto no coração...dificuldade em respirar parece que tenho um nó na garganta...é realmente espantoso como tu transmites as coisas...não tem explicação!

Ai que tu me matas antes do final da história...com um capitulo arrebatador destes não sei se consigo aguentar a espera ate terça pelo ultimo capitulo! Quero lá saber da estreia de Eclipse na quarta...quero é o teu capitulo na Terça...vão ser os dois dias mais longos na minha vida!

Alex a chorar aos pés da Nikka e a rezar...não há palavras para descrever tal coisa...tudo o que dissesse não faria justiça à tua escrita!

por isso acho que fico por aqui no comentário! Gostaria que fosse melhor mas não sou capaz!

Bjokas da tua fã incondicional e que te ADORA!

Drica'S@ disse...

AR eu não sei o que escrever!
Não tenho uma opinião formada sobre este capítulo só tenho que te dizer que melhor é impossível! Eu amei este capítulo TUDO, finalmente vimos algum sentimento vindo do Michael, o qual eu adorei! Eu não sei mesmo o que dizer, espero que isto tudo não seja um sonho e que a Nikka aceite bem, o Alex está a fazer tudo por desespero e amor, para não perder a sua saniedade e para poder continuar a respirar livremente, sem remorsos e sempre a pensar que a poderia salvar e nao tinha feito. AMEI, minha querida eu vou adoptar uma expressão muito usada pelas tuas leitoras: Ar tu és a escritora da minha vida e a prova disso é que eu nunca chorei a ler nada, nem a ver um filme (sim eu sou muito fria) mas eu agora chorei!! Chorei que nem um bébé, a sentir o que a Nikka sentia, o medo e o desespero, a dúvida e acima de tudo um amor que não pode ser vivido... OMG eu fiquei em pânico quando senti duas lágrimas a cairem-me dos olhos, nem a Stephanie nem qualquer outra pessoa conseguiu fazer o que tu fizeste.
Estou super ansiosa por amanhã, vou ver o Eclipse no sábado, mas nem isso supera o desejo que eu tenho em ler o teu capítulo.
Posta por favor!! Escolhe o destino que achares melhor e continua com o trabalho fantástico que tens desenvolvido.
Desculpa não ter comentado o outro capítulo mas como postaste com pouco tempo de distância eu li os dois agora!!
Queria dizer-te mais uma coisa, e prometo que é verdade:
Eu estou super completa, ou seja, se eu não podesse ler mais, eu não me preocupo, pois sinto que a leitura da minha vida foi esta, não necessita de ler mais nada, a não ser esta história!
Tenho pena que esteja quase a acabar mas a minha opinião é que mais vale ter um fim espectacular do que estender a história e ficar um final horrivel.
Ar gostava de te pedir que lesses a minha história Mundos Opostos (é nova) que está no meu blog: http://ilovetwilightsagaforever.blogspot.com/ se podesses dar a tua opinião 100% sincera eu agradeço, não há escrita que eu mais admiro que a tua e ter um conselho teu seria tornar o meu dia super feliz.
Não te vou pedir desculpa pelo testamento que escrevi porque tudo o que disse tinha de ser dito!
Ar da minha vida fica bem
Adoro-te
Beijinhos

Lisa disse...

suprendeste me completamente!acho que nao aguento ate terça
a nikka vai se passar ela nunca quis se transformar...as juras de amor no quarto do hospital emocionaram me completamente entraste mesmo nas personagens
mal posso esperar por mais adoro completamente a tua historia!posta depressa e bjs

Bruna disse...

Ar, eu já não tinha dúvidas que esta fic devia ser um livro, agora...
Fiquei, tipo : Ela tem de levar isto a uma editora...Se ela não o fizer...Ela tem talento, um talento natural, que nasceu com ela.
Ar, eu peço-te, tens de levar isto a uma editora! Faz isso pelas fãs que tens!

Eu estou a chorar, não só pela história, mas pelo desejo de ter esta história na prateleira da estante dos livros. Ainda há espaço para o teu livro e mesmo que não houvesse arranjava-se.

Se eu morresse agora, morria 90% feliz por ter lido a história maravilhosa da escritora de fics mais talentosa do mundo. Mas se morresse, em homenagem a uma fã tua, podia levar a história a uma editora :)

Ar, eu nunca fiquei viciada numa fic, e nunca li nenhuma até ler a tua pela 1º vez.
E digo-te que foi a coisa mais fantástica que eu fiz e orgulho-me, porque se não o fizesse não estava hoje aqui a comentar a história perfeita.

Estou sem palavras.

Eu até era capaz de fazer ideia que o Alex não ia ficar ali a vê-la fazer uma coisa com a qual ele não concorada. Mas desta maneira? Nem em sonhos eu imaginava.
Espero que a Nikka o perdoe!

Eu não sei o que dizer.
Ar,
don't make me cry again!

Winds Of Change disse...

OMG!!!
Onde é que tiraas-te este dom, rapariga...
Tu matas-me!!
Em primeiro lugar OBRIGADA por me teres dedicado o penultimo capitulo, aserio significa muito para mim, acredita...

Eu nem tenho palavras para descrever o quanto esta maravilhoso...
Não é para me gabar mas já sabia que ele ia a transformar sem ela querer...xD
mas mesmo assim está lindo...Perfeito...Maravilhoso...
Para tu veres eu ate chorei, CHOREI...NUMA HISTORIA...
Opa, sei que as tuas leitoras e eu estamos sempre a dizer-te para levares a tua fic a uma editora...Mas agora eu ameaço-te...

SE TU NÃO LEVAS ISTO A UMA EDITORA, EU JURO QUE TE DOU UMA VALENTE PORRADA, FICAS MARCADA PARA O RRESTO DA TUA VIDA...OUVIS-TE!!!

bjs
P.S. No último tens que por outra música dos meus lindos McFly...PLEASE

Anónimo disse...

adorei, muito bonito e emocionante, fez-me chorar, pensar que o alexander iria ter que passar a eternidade sem ele, mas também o facto dela sofrer, ele foi um autentico amor, em arriscar transformá-la, mesmo que ela não o perdoe, lindo!!!!!!!!!!!

Anónimo disse...

Como sou uma rapariga repetitiva vou dizer como sempre! lol Adorei alias amei!!
Vou ter tantas saudades desta historia! eu adoro a tua maneira de escrever: consegues fazer passar os sentimentos, continua mesmo tens muito talento!
Para voltar ao capitulo, surpreendes-te-me! gostei da parte entre os dois irmão: tavam sempre a embirrar, foi bom finalmente admitirem que como todos os irmãos mesmo com altos e baixos, amam-se!
Bem e o Alex! eu bem que duvidei ao ler que ele não a ia deixar morrer dessa maneira, que ele ia fazer alguma coisa. transforma-la, o que ele sempre quis, ter a mulher que ama para a eternidade a seu lado! agora a ver a reacção da Nikka! de certeza que ela ao principio vai estar chateada!^^

Consegui fazer um comment um pouco mais cumprido que de habito (milagre! lol)
Não consigo acreditar que amanhã vai ser o ultimo capitulo! :'( saudades...
Beijos grandes da tua fã de França (francesa não :p)

Fatima

md disse...

AR O.O / T.T / OK RESPIRA E INSPIRA AGR ESTOU NERVOSA ele mordeu.a vampira o que eu ouvi bem terça ? ultimo capitulo? ahh o que ? ? tou P.A.R.V.A COMPLETAMENTE SEM PALAVRAS E EMOCIONALMENTE PARVA :O
como é que n queres ser escritora?? ??
ai vou cair vai.me dar um treco DOS GRANDES
ARRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRR eu é que vou morrer ohh agr ainda em choque eu amei muito mesmo o capitulo como todos os outros...~
espero que depois desta continues a escrever mais e muito mais estarei ca sempre ^^
n te esqueças adrt mt miga e estive/estou/estarei
ok tenho o caração a saltar.me pela boca desculpa mas ve se percebes o outro lado da frase : POR VEZES ODIO COMO EMOÇÃO ,é o que eu tenho a dizer

fica bem...(o meu deus tou chocada) OO'
ps- Esta simples mas com carinho e dedicaçao como o tempo passa :)

Rita Batista disse...

Sem palavras!
Nao sei se tu concegues ver as horas deste comentario, mas sao 5:20h da manhã. Ainda nao dormi... Fiquei a falar com o meu namorado até ás 3h e depois pensei: 'Nao tenho sono, por isso vou ler uns blogs'
Cheguei ao teu e reparei que tinhas mais 2 capitulos novos... Fiquei de boca aberta :O Como é que eu ainda nao os tinha lido?! Fiquei chocada comigo mesma...
Li o 22º e este!
Ok... eu estou completamente 'abananada' com isto tudo.
Sinceramente... nunca pensei que chegasses a este ponto...
Eu sabia que escrevias bem e tal... mas fiquei surpreendida!!!
A maneira com tu transmites os sentimentos das personagens é de loucos!! Tu tens talento AR! Muito, muito, muito talento minha querida...
Comecei a ler esta fic por mero acaso...
Mas agora que a fic está na recta final... Ademiro-te! Ademiro-te por tudo...
Teres imaginado e pensado na historia e no drama envolvente... foi magnifico.
Provavelmente... e nao é provavelmente, é mesmo! Esta é a melhor historia que eu li sem ser a 'Nómada' da stephanie meyer.
Esta fic é muito melhor que A FAMOSA SAGA 'TWILIGHT'... desculpas a quem nao axa isso!
Mas eu axo! E digo-o, ou melhor escrevo :D
Eu Rita Baptista afirmo que a fic 'Amor & Sangue á meia-noite' é muito melhor que a famosa saga 'TWILIGHT'! E que esta fic marcou visivelmente a minha vida...
Os meus pais, os meus amigos, o meu namorado... todos o que me rodeavaam sabem que eu adoro esta fic!
....
Nao sei o que te dizer mais...
Olha... vai para letras, tira jornalismo ou outra coisa qualquer...
Porque quando os teus livros estiverem á venda eu vou compra-lo... porque eu vou sentir orgulho, e sinto-o por ser uma leitora tua.
Obrigada por tudo querida AR ^^

E este comentario devia ser o meu ultimo... mas tive de escrever o que me ia na alma ;)
Eu vou comentar o ultimo capitulo... porque eu nao amo! Mas sim Venero a tua historia

Beijinhos queridos de uma leitora muito feliz por o ser,
Rita Batista

Bárbara B. disse...

Olá Ar :)
Ok, morri neste capitulo. Deu pa chorar até mais não,para me derreter e para sentir sensações bem reais.
Nunca pensei que a Nikka ficasse doente e nunca pensei o Alex a rezar!! Mas está muito bem feito!
As declaraçoes de amor, o desespero do Alex.. a serio até dá para sentir tudo isso na maneira como escreves!

E agr claro, tanto amor tinha que acabar assim, com o Alex a transformá la! Ela vai mata lo!! Estou mesmo mortinhaa para saber como vai acabar! Diz me que nao é um final triste, pleaseeee!xD

Fico á espera^^

Beijinhos*****

Marta Boo disse...

Ai, Deus dos Céus! Tu queres dar cabo de mim!
Eu juro que neste momento palvras... Não tenho nenhuma, juro! Vou tentar arranjá-las.

Ar, meu amor,
Este capitulo esta literalmente divinal, amo mesmo o teu bebé, é um bebé mesmo pequeno lindo, maravilhoso, como muito amor, dor, e beleza acima de tudo! É LINDO E NUNCA ME VOU ESQUECER DO BEBÉ!

Bem, eu peço deculpa por não ter comentado o capitulo anterior, comecei a le-lo no domingo, mas fiquei sem net e só a recuperei hoje (não estou a gozar nem a mentir), bem o capitulo anterior estava fantasctio c gostei mesmo, é assim eu já adoro os teus capitulo...hum, "normais" digamos assim, mas aqueles com, hum... "Bolinha vermelha" são os meu favoritos, chamem-me maluca, doida, louca por sexo, mas eu adoro a meneira como descreves, tem tanto a amor, desejo e paixão e, ai sei lá! Adoro mesmo xD Escreves mesmo muito bem :D Acredita ^^

Quanto a este capitulo, está lindo, e estava com um aperto enorme no coração! Saber e ler que a Nikka podia morrer, que o Alex sofreria, ver o amor que ambos nutrem um pelo outro, matou-me, digo-te que me matou mesmo! Chorei, chorei por mim e por eles, chorei pela dor que ele (Alexander) sentia e pelo amor, e medo da Nikka por causa do seu amor vir a sofrer com esta operação que poderia não traze-la de volta *.* Tudo o que senti neste capitulo, parecia-me tão real que me fez chorar muito mais. O amor de Alex, o amor da Nikka as declarações um do outro, simplesmente fizeram-me cair redondinha no chão e chorar, mais e mais!

Querida, eu simplesmente não te consigo dizer quais as minhas partes favoritas, captaste-me desde o primeiro momento, captas sempre a minha atenção e meu prazer em ler a tua preciosidade. És maravilhosa escritora!

Ar, estou a morrer pelo ultimo capitulo, quero le-lo, quero ver um final feliz, quero ver a Nikka feliz assim como o Alex, surpreendes-me sempre e isso vai acontecer na mesma com o ultimo quer o final seja bom ou mau, tens um talento incrivel e nunca desistas dele por favor, espero que continues a tua historia porque vir aqui todos os dias e não ver um capitulo vai ser doloroso, não s+o para mim mas como para as outras leitoras ^^

Muitos parabéns AR! podes contar sempre comigo para tudo o que quiseres, embora que não te conheça sei que es fantastica e uma excelente pessoa com um talento incriver para a escrita e para me fazer sonhar e imaginar tudo depois e enquanto leio, és fantastica e maravilhosa, não em canso de dizer isso e espero que encaixes isso de uma vez ^^

Um grande beijo com muito amor e carinho <3
Adoro-te sempre minha querida *.*

P.S: Espero que tenhas noção de que, nem a stephenie meyer me fez chorar tanto! Ar, YOU ROCK!

Bella Cullen disse...

QUERES QUE TE DIGA A VERDADE? A VERDADE FOI QUE OS MEUS OLHOS ENXERAM SE DE LAGRIMAS! EU NUNCA TINHA LIDO UMA FIC, OU UM LIVRO, E FICADO ASSIM! NUNCA!
AINDA ESTOU A XORAR...
MERDA! NAO PÁRO DE XORAR PA ESCREVER UM COMENT EM CONDIÇOES!
VA, VOU TER QUE ESCREVER O COMENT A XORAR
O que axei? AR eu nao te perdoo se nao mandares esta fic imediatamente para uma editora! vais ficar rica mulher! eu compro todos os que estiveram á venda na minha vista!
Esta historia é deslumbrante...
eu quase que fico sem ar ao le-la, pk eu nao entendo! Pk é k me tas a fazr isto? pk? nao é justo eu ficar assim por causa de palavras! se visses! Oh, dos meus olhos escorreram ao mesmo tempo duas lagrimas, uma de cada um! as primeiras lagrimas monitorizadas de todas as fic's que ja li! De todos os livros!
Eu nem nunca xorei a ler um livro da stephenie meyer! nunca! e agr? agr estou a xorar por causa da tua fic, agr estou a ficar emocionada e isso é bom claro, é assustador. estou com medo AR, estou com medo de ler o ultimo capitulo, pk eu nao quero deixar de ler a tua fic pah! nao quero! nao...nao pds fazr isto! tens que escrever + e + e + e +! tens que fazer uma fic de...da vida da nikka a partir da vida vampira dela! ela vai virar vampira nao vai?
god, nao sei mais que dizer, porra isto assim nao é nada, ja viste como me fizste ficar?

Mts mts bjss AR!
e mts parabens!

Enviar um comentário